HSSuffer: Hidradenitis Suppurativa, Ictiose, Auto-Hemoterapia, Disordens Cutâneas, Doenças Raras e Auto-Imunes

Hidosadenite Supurativa, Ictiose, Doenças Raras, Auto-Hemoterapia e tratamentos na Medicina Alternativa abordando aspectos Psicológicos e sequelas que envolvem seus portadores

Auto-Hemoterapia, Dr. Fleming e os antibióticos… A Saúde está aprisionada!

Publicada: 28/02/2009
Texto: Jorge Martins Cardoso (Médico)

Do telefone principal de Londres (cidade onde Dr. Fleming faleceu em 1955), o escriba recebeu uma mensagem secreta que só agora passa para as simpáticas leitoras e os simpáticos leitores. Cadeia para Bush. George Walker Bush devia se preso. Julgado primeiro, claro, porque não se pretende privá-lo de direitos, como ele fez com outros. Sobretudo os torturados pelo mundo, porque o governo dele decidiu aplicar força bruta para extrair informações de prisioneiros, em nome da segurança nacional. Exatamente como faziam – e justificavam – os torturadores do DOI-CODI na época da ditadura militar brasileira.

Difícil acontecer? Nem tanto. A detenção de Augusto Pinochet em Londres, dez anos atrás, foi um precedente importante no Direito Internacional. Criou jurisprudência, para autorizar a prisão, em qualquer país, de quem seja acusado de crimes contra a humanidade. O velho ditador chileno escapou da Justiça (no caso, o pedido de um juiz espanhol) porque as autoridades britânicas julgaram que ele estava doente e sem controle de suas faculdades mentais (rapidamente recuperadas quando ele retornou ao Chile, mas isso é outra história).

O fato de que os EUA não reconhecem o Tribunal Internacional de Haia pode ser um complicador, mas não impedimento para julgar o ex-presidente fora de seu país. Assim ocorreu com o sérvio Slobodan Milosevic (que morreu de infarto na prisão, enquanto era julgado), com o seu compatriota Radovan Karadzic (1) (ainda preso em Haia e sob julgamento), e com o liberiano Charles Taylor e os responsáveis pelo massacre de tutsis em Ruanda.

Tem gente de olho em Robert Mugabe, do Zimbábue, para pegá-lo na mesma rede. O ex-secretário de Estado americano, Henry Kissinger, já evita certas viagens com medo de captura por crimes cometidos no Chile, com seu beneplácito, na época em que servia ao governo Nixon. O ex-primeiro-ministro israelense Ariel Sharon, em coma num hospital, já viajava com cuidado para não ser detido fora do país, acusado de crimes de guerra. Dois anos atrás, um general israelense evitou desembarcar em Londres de um avião da El Al (território soberano de Israel), quando lhe informaram que autoridades britânicas tinham ordens de prendê-lo sob acusação semelhante.

É irrelevante que Bush tenha preferido chamar tortura de “método aplicado de interrogatório”, porque simular afogamento de prisioneiro (waterboarding é o eufemismo) para fazê-lo confessar nada mais é do que tortura. Ou “método invertido de suspensão” seria menos condenável do que “pau-de-arara”? Bush autorizou essa prática. O ex-presidente Bush autorizou, o seu vice-presidente Dick Cheney adorou (defende até hoje), o secretário de Defesa Donald Rumsfeld (2) aprovou e o ministro da Justiça/Procurador-geral Albert Gonzalez forneceu um arcabouço jurídico de desculpas (“a Convenção de Genebra não se aplica”, escreveu) para justificar as práticas abusivas. Cadeia para os três.

Tais palavras foram escritas na coluna do jornalista Silio Boccanera, transmitida pela Agência Alô e publicada no JORNAL DA CIDADE (SE), no dia 24 de janeiro de 2009, caderno A-2. O brilhante e muito bem informado jornalista mandou a mensagem de Londres (cidade na qual Dr. Fleming foi cremado em 1955).

Afinal, quem é mesmo ou quem foi Radovan Karadzic (1)? Segundo a revista Veja, edição 2.071, de 30 de julho de 2008, na página 88 consta o seguinte: Internacional – O Assassino que virou guru – Como Radovan Karadzic (1) o carniceiro da Bósnia, se disfarçou numa personificação de bondade – Médico e monstro. (A reportagem é do jornalista Duda Teixeira). As crianças o chamavam de Papai Noel. A barba branca cobria seu rosto e o cabelo era preso no alto da cabeça com um coque. O objetivo do adereço, Radovan (1) explicava às pessoas, era atrair energias vitais (3) do ambiente. O mais surpreendente é que o carniceiro da Bósnia, procurado por crimes de guerra há treze anos, não se contentou em disfarçar-se para não ser reconhecido. Ele forjou uma nova personagem que pretendia ser a personificação da bondade. Bom vizinho, atencioso e educado, ganhava a vida escrevendo artigos e dando palestras sobre bioenergia (3) e auras pessoais. Em um consultório num bairro popular de Belgrado, a capital da Sérvia, oferecia serviços de homeopatia, acupuntura, meditação e medicina quântica. A farsa terminou quando ele foi preso pela polícia sérvia, que deve entregá-lo para ser julgado no Tribunal Criminal Internacional para a ex-Iugoslávia, em Haia, na Holanda. Psiquiatra de formação e poeta de certo prestígio, ele se tornou o chefe da rebelião sérvia contra a independência da Bósnia.

No DVD em que o médico Dr. Luiz Moura (absurdamente cassado pelo Cremerj aos 82 anos de idade e com 57 anos de profissão) dá uma aula humanitária sobre a “Auto-Hemoterapia: Uma Contribuição para a Saúde”, ele fala sobre bioenergia (3) ou energias vitais (3). Vejamos: “Agora depois, só depois o Reich (4) com a bioenergética (3), que deu para explicar o porquê a ventosa curava; porque a ventosa puxava um sangue carregado de energia, subia o potencial de energia acima dos micróbios e a energia que estava sendo usada pelos micróbios, para se reproduzir, era tirada dele, e a ventosa com isso curava a pneumonia. Mas, sem esperar o Reich (4) publicar os livros dele, nos anos 40 do século XX, não se sabia, mas os médicos tinham juízo e usavam a ventosa sem saber disso…

É interessante observar que o Dr. Luiz Moura, além da auto-hemoterapia, no DVD, fala também em ventosa e em bioenergética (3), como sendo terapias que complementam a “terapia oficial”, ou seja, a terapia das multinacionais. No entanto, a terapia com o uso de ventosa, no passado, já foi muito usada no Brasil. Hoje em dia, vários países estão retomando o seu uso, inclusive o Japão. A história da bioenergética (3) é um pouco mais complicada, merecendo vários artigos à parte. Todavia, os psiquiatras e psicanalistas têm conhecimento de sua existência e também devem saber das perseguições por que passou o médico Wilhelm Reich (4), culminando com a sua morte dentro de uma penitenciária, por causa de suas descobertas em favor da saúde humana. Curiosamente, o CFM e a Anvisa proibiram unicamente a prática da auto-hemoterapia e, consequentemente, qualquer pesquisa sobre o assunto. Por que será?

O jornalista Silio Boccanera em seu artigo empurra todos num mesmo balaio. O médico Radovan Karadzic, que é o carniceiro da Bósnia, e as demais ex-autoridades dos EUA. E eles são carniceiros de onde mesmo? A decisão será dos juízes que irão julgá-los. Condenados ou não, as multinacionais continuarão às soltas. Cadeia nelas também. A auto-hemoterapia foi usada no passado, sempre fez o bem. Está sendo usada no presente, não fez mal a ninguém. Será que, ao cassar a profissão de um médico idoso (o caso do Dr. Luiz Moura), será que, ao proibirem pesquisas sobre o funcionamento (vem de fisiologia) da auto-hemoterapia, os “donos” da Anvisa e os médicos do CFM, por acaso não estarão lesando a humanidade? Cometendo um crime de lesa humanidade? E, por conseguinte, um crime contra a humanidade?

Silio Boccanera citou Radovan Karadzic (1). A revista Veja citou Radovan Karadzic (1) e também citou a bioenergética (3), a homeopatia e a acupuntura. Dr. Luiz Moura citou a bioenergética (3), a ventosa, ao nos dar uma brilhante aula sobre a auto-hemoterapia. Será que devemos prender o jornalista Silio Boccanera? Será que devemos queimar a revista Veja? Será que o Dr. Luiz Moura deve continuar cassado? Até quando? Aprisionaram a palavra liberdade! Prenderam a liberdade de pensamento. Prenderam o pensamento! Prenderam a verdade. Aprisionaram a saúde. A saúde está aprisionada.

2 Comentários»

  M.Fetha wrote @

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os antibióticos… (75) e (76) – Dr. Jorge Martins Cardoso – Médico

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os antibióticos… (75)

http://www2.jornaldacidade.net/artigos_ver.php?id=16973

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os antibióticos… (76)

A luta pela saúde e a luta pela vida, leva-nos, inexoravelmente, à luta pela verdade e à luta por pesquisas científicas, no sentido de comprovar definitivamente a eficácia da auto-hemoterapia (AHT).

http://www2.jornaldacidade.net/noticias_ver.php?id=17665

  M.Fetha wrote @

Auto-hemoterapia, Dr. Fleming e os antibióticos… Artigo 96 – (1ª, 2ª e 3ª parte) Adrenalina, (a*) aminofilina (b*) e corticóide (c*). (por Dr. Jorge Martins Cardoso – Médico – CRM 573.): http://alturl.com/9bn2a


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: