HSSuffer: Hidradenitis Suppurativa, Ictiose, Auto-Hemoterapia, Disordens Cutâneas, Doenças Raras e Auto-Imunes

Hidosadenite Supurativa, Ictiose, Doenças Raras, Auto-Hemoterapia e tratamentos na Medicina Alternativa abordando aspectos Psicológicos e sequelas que envolvem seus portadores

Arquivo para agosto, 2011

Indústria farmacêutica não quer curar pessoas, diz prêmio Nobel

26 de agosto de 2011 • 11h26 • atualizado às 11h56

O prêmio Nobel de Química 2009, o americano Thomas Steitz, denunciou nesta sexta-feira o fato de que os laboratórios farmacêuticos não pesquisam antibióticos efetivos e acrescentou que “não querem que o povo se cure”.
“Preferem centrar o negócio em remédios que deverão ser tomados durante toda a vida”, afirmou Steitz, que opina que “muitas das grandes farmacêuticas fecharam suas pesquisas sobre antibióticos porque estes curam as pessoas. Pesquisador do Instituto Médico Howard Hughes da Universidade americano de Yale, Steitz assiste em Madri ao Congresso Internacional de Cristalografia (estudo da estrutura ordenada dos átomos nos cristais da natureza).

No caso da tuberculose, Steitz analisou o funcionamento que deveria seguir um novo antibiótico para combater cepas resistentes à doença que surgem, sobretudo, no sul da África. O cientista comentou em entrevista coletiva que o desenvolvimento deste remédio exige um grande investimento e a colaboração de um laboratório farmacêutico para avançar na pesquisa.

“É muito difícil encontrar um que queira trabalhar conosco, porque para estas empresas vender antibióticos em países como a África do Sul não gera dinheiro e preferem investir em remédios para toda a vida”. Por enquanto, segundo Steitz, estes novos antibióticos são “só um sonho, uma esperança, até que alguém esteja disposto a financiar o trabalho”.

Steitz e os espanhóis Enrique Gutiérrez-Puebla e Martín M. Ripoll, do Conselho Superior de Pesquisas Científicas (CSIC), pediram nesta sexta-feira aos países para que invistam mais em ciência. Os cientistas acreditam que a resistência das bactérias aos antibióticos será necessária continuar pesquisando “indefinidamente”.

………………………………………………………..

Diante de fatos assim por vezes me questiono o que fazer com a minha esperança…

A Auto-Hemoterapia no Congresso em Foco



por Walter Medeiros*

A auto-hemoterapia é, como o próprio nome sugere, a terapia com utilização de sangue da própria pessoa. O sistema consiste em retirar 5 ml, 10 ml ou 20 ml de sangue da pessoa e, no mesmo momento, aplicá-lo no músculo (braço ou nádegas) de forma a que o corpo do indivíduo crie mecanismos de defesa elevando os níveis de macrófagos de 5% para 22% (produzidos pela medula óssea, são os macrófagos que fazem a “limpeza” do nosso corpo, eliminando a fibrina, bactérias e vírus do organismo). Esses níveis elevados de defesa, criados pelo próprio organismo, atingem o pico após 8 (oito) horas de aplicada a injeção e duram por até 05 (cinco) dias, quando então começam a diminuir até atingirem os valores normais de uma pessoa sadia (5%).

Mesmo cercada de polêmica graças à postura do Conselho Federal de Medicina e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que se colocaram contrários à técnica, a auto-hemoterapia tem conquistado cada vez mais a atenção das pessoas. Alguns números demonstram isso de forma cabal.

A palavra auto-hemoterapia, digitada na busca do Youtube, dá acesso a uma informação impressionante: os vídeos que tratam dessa técnica, que combate e cura doenças com a retirada de sangue da veia e aplicação imediata no músculo, já foram acessados mais de 1,2 milhão de vezes, num período aproximado de três anos. Esta terapia vem salvando vidas há mais de cem anos e passou a interessar aos internautas a partir de um DVD gravado em 2004, uma entrevista de Ana Martinez e Luiz Fernando Sarmento com o Dr.Luiz Moura, do Rio de Janeiro.

Assista ao vídeo com o Dr. Luiz Moura:

Além do mais, já em 03.02.2008 o cineasta Marcos Manhãs Marins informava no site Cinema Brazil que o vídeo brasileiro mais assistido nos últimos 3 anos fora o documentário de entrevistas intitulado “Auto-hemoterapia”. Segundo o comentário, “estima-se que mais de 20 milhões de pessoas assistiram ao vídeo, mesmo sem ele passar na TV”.

O site de busca Google, por sua vez, ao ser consultado traz 125.000 registros de sites, blogs e fóruns com matérias, artigos, comentários, depoimentos, vídeos, casos, demonstrações, mensagens, manifestos, documentos e fotos sobre auto-hemoterapia. A grande maioria dos links mostra o uso e os benefícios que a técnica vem trazendo para milhões de pessoas. Os adeptos da auto-hemoterapia relatam casos nos quais foram bem sucedidos nos tratamentos, enquanto os que são contra apresentam apenas alegações vazias e sem qualquer comprovação do que alegam.

Outros dados de vulto que podemos observar são as visitações a sites como “Auto-hemoterapia – meu sangue me cura”, que neste fim-de-semana atingiu a marca dos 41 mil visitantes desde 17.04.2008; o “Inforum – Auto-hemoterapia (relate sua experiência)”, iniciado em 21 de novembro de 2006, que registrava nessa mesma ocasião 18.264 mensagens; o site  “Orientações Médicas”, que mantém uma pesquisa sobre auto-hemoterapia desde 05.11.2008 e já foi acessado por 12.296 internautas; o fórum “Auto-hemo”, com mais de 1.200 visitas; além de outros importantes espaços, como o blog da advogada Genaura Tormin, cujo artigo “Incríveis benefícios da auto-hemotrapia” já recebeu 554 mensagens desde 20.02.2007; e o abaixo-assinado pela legalização da técnica no Brasil, que recebeu milhares de visitas.

O assunto apareceu também, embora discretamente em Jornais, revistas, rádio e TV, inclusive no jornal do Conselho Federal de Medicina – CFM, que se viu obrigado a publicar notícias informando que a auto-hemoterapia através do tampão sanguíneo peridural tem eficácia cientificamente comprovada; e a Revista da Associação Médica Brasileira – AMB, que levou o assunto para o campo da bioética, mas informou que o uso da auto-hemoterapia está crescendo no Brasil.

Esses números mostram como as pessoas estão se informando e utilizando a auto-hemoterapia para resolver problemas idênticos aos citados pelo dr. Luiz Moura, no DVD, onde ele apresenta informações detalhadas sobre o uso da técnica. Para o CFM e ANVISA, tudo isso não significa nada. Para eles, a cura não é cura. Mas esse acúmulo de informações e experiências acabará por mostrar que a auto-hemoterapia não é uma miragem. Ela pode ser uma solução para muitos problemas de saúde, por ser acessível a qualquer pessoa que decida usá-la, vez que depende apenas de uma seringa, um chumaço de algodão, uma porção de álcool e uma pessoa capacitada para fazer a aplicação.

* Walter Medeiros, jornalista, escritor e bacharel em Direito, trabalhou em diversos veículos de comunicação do país (entre eles, a Folha de S. Paulo e o Estado de S. Paulo e publicou vários livros relacionados com temas de saúde. Mantém ainda o site http://www.rnsites.com.br/auto-hemoterapia.htm

Fonte:
http://congressoemfoco.uol.com.br/opiniao/forum/a-auto-hemoterapia/

A diferença de suplemento e remédio

%d blogueiros gostam disto: