HSSuffer: Hidradenitis Suppurativa, Ictiose, Auto-Hemoterapia, Disordens Cutâneas, Doenças Raras e Auto-Imunes

Hidosadenite Supurativa, Ictiose, Doenças Raras, Auto-Hemoterapia e tratamentos na Medicina Alternativa abordando aspectos Psicológicos e sequelas que envolvem seus portadores

Arquivo para dezembro, 2013

[ DEPOIMENTO ] The Struggles of ITP

Este é o depoimento de uma garota portadora de ITP Immune Thrombocytopenic Purpura. Trata de uma doença como a HS, auto -imune que faz com que seus anticorpos ataquem as plaquetas. O depoimento dela é único e “eu” em particular me identifiquei demais com tudo que ela disse ao tentar se expressar sobre os medos, os temores e como é enfrentar a enfermidade sob seu ponto de vista.

Infelizmente só tenho a versão do depoimento em inglês.

Estranhas Refutações

O Parecer 12/07 do Conselho Federal de Medicina – CFM que critica a auto-hemoterapia e afirma que essa técnica não seria eficaz desqualifica-se por si só, pois declara que muitos trabalhos de pesquisas científicas deixaram de ser considerados porque estavam escritos “em outros idiomas”. Acreditem: isto está no Parecer do CFM. Deixaram de considerar trabalhos científicos de vários países porque estavam “escritos em outros idiomas”.

Para ter uma ideia da falta de cuidado do CFM, está escrito no seu Parecer que “Das 91 indicações da base de dados referida, 26 não estão escritas em inglês, senão nos idiomas dos países em que foram publicadas: 3 em polonês, 6 em russo, 7 em alemão, 1 em chinês, 3 em espanhol, 2 em francês, e 4 em italiano. Desses 91 artigos, apenas 39 apresentam abstracts disponíveis e 18 estão em idiomas não identificados pela fonte”.

Tradutores juramentados

Caso o órgão quisesse tratar do assunto de forma correta, caberia mandar todos esses trabalhos para tradutores juramentados e utilizar o seu conteúdo na análise do assunto. A propósito, a certa altura o Parecer afirma que “Grebnev e Shumkii (1995), em periódico soviético, relatam a melhora de pacientes com estomatite herpética crônica com auto-hemoterapia magnética e afirmam ter demonstrado uma tendência à normalização de alguns parâmetros da imunidade celular e humoral em pacientes assim tratados. Este trabalho, publicado há 12 anos na Rússia, não foi analisado no original e, portanto, não é possível determinar o seu nível de evidência.”

Dá para ter uma ideia do descaso com que o assunto foi tratado. Primeiro, o trabalho mostra a melhoria dos pacientes e o Parecer confessa que “não foi analisado no original”. Em seguida, opina de forma tendenciosa, que “É improvável que este estudo tenha tido algum impacto no Ocidente em face do idioma em que está publicado, da precária distribuição internacional da revista em apreço e da ausência de publicações sob o tema.”

Pubmed já tinha 106 estudos

Ao contrário do que está colocado no parecer do CFM, o médico Alex Botsaris – autor de livros como “Sem Anestesia”, que teve grande repercussão na área de saúde – afirma que “não é verdade que essa terapêutica não tenha nenhum fundamento, nem que não haja nenhum trabalho publicado sobre ela na literatura mundial ou nacional, como afirma a SBHH” (Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemoterapia). Ele define a Auto-hemoterapia como “um recurso terapêutico simples que consiste em retirar sangue de uma veia e aplicar no músculo”.

O Dr. Alex Botsaris informa que “Na base de dados pubmed, do NIH (Instutito Nacional de Saúde americano), considerada a maior base de dados médicos do mundo, existem cerca de 106 estudos científicos publicados sobre auto-hemoterapia, a maioria sendo clínicos.” Segundo ele, “É um numero modesto, mas mostra que alguma pesquisa já foi realizada.” Cita que “Um estudo, inclusive, foi realizado no Brasil. O artigo do Dr. Botsaris está publicado no link http://www2.uol.com.br/vyaestelar/auto_hemoterapia.htm .

Refutações e seu porque

Outro aspecto do partidarismo do CFM pode ser visto no portal médico mantido pela entidade, onde a chamada para o Parecer recebeu o sintomático título de “Refutações à Auto-Hemoterapia”. Ou seja, o CFM demonstra que não está do lado da ciência nem da comprovação de eficácia científica. Está contra a auto-hemoterapia e as consequências disso sabemos que são muitas. Até porque o CFM permite oficialmente que seus membros, os médicos, recebam presentes dos laboratórios farmacêuticos. E a cada comprovação de eficácia da auto-hemoterapia as pessoas deixam de precisar de medicamentos.

Tortuoso caminho, pois logo logo teve de voltar atrás e atender reclamações dos anestesiologistas que, através da sua Sociedade, exigiram a permissão para continuar usando a auto-hemoterapia através do procedimento denominado Tampão Sanguíneo Peridural, pelo qual a pessoa recebe uma injeção de sangue para fazer face a fortes dores de cabeça que sentem no pós-operatório.

Como se a população não merecesse qualquer justificativa, também de forma estranha, é permitido o uso da auto-hemoterapia através do Plasma Rico em Plaquetas. Mas aí deve ser tão somente porque o uso por médicos resulta em bons retornos, já que são cobradas altas quantias pelas aplicações, que chegam até a R$ 4.000,00.

Outros usos ficaram confusos, mas as autoridades de saúde fogem do assunto: são os casos, por exemplo, dos resultados obtidos na área da genética e do cordão umbilical, e o efeito no pós-operatório, que foi objeto inclusive da pesquisa do Dr. Jessé Teixeira e resultou no trabalho denominado “Complicações Pulmonares Pós- Operatórias: Autohemotransfusão” (http://www.rnsites.com.br/artigo_jesse_teixeira.pdf ) .

A publicação do CFM, por seu título, deixa grande dúvida: a sociedade precisa saber por que refutações. Por que CFM age contra a Auto-hemoterapia, se àquele órgão caberia, ao contrário, colaborar na promoção de estudos para comprovar ou não a sua eficácia. O que está bem claro é que a ordem era proibir a Auto-hemoterapia. Mas a sociedade não se rendeu ao arbítrio e à injustiça. A cada dia essa comprovação vem chegando e os órgãos responsáveis pela saúde vão ter a auto-hemoterapia como certas pessoas um dia tiveram Zagalo na Seleção Brasileira. Aí cabe a metáfora, onde a auto-hemoterapia diz à Anvisa e ao CFM: “Vocês vão ter que me engolir”.

Tudo isso começou com a repercussão do DVD da entrevista do Dr. Luiz Moura sobre o assunto: http://www.youtube.com/watch?v=N-dmpGfkKN0 .

REPRODUÇÃO DA MATÉRIA DO JORNALISTA:
— Walter Medeiros – waltermedeiros@supercabo.com.br

%d blogueiros gostam disto: