HSSuffer: Hidradenitis Suppurativa, Ictiose, Auto-Hemoterapia, Disordens Cutâneas, Doenças Raras e Auto-Imunes

Hidosadenite Supurativa, Ictiose, Doenças Raras, Auto-Hemoterapia e tratamentos na Medicina Alternativa abordando aspectos Psicológicos e sequelas que envolvem seus portadores

FOSFOETANOLAMINA

FOSFOETANOLAMINA

A matéria do Bom Dia Brasil de hoje sobre o uso da substância fosfoetanolamina, cuja eficácia no combate ao câncer vem sendo comprovada e teve sua distribuição determinada pelo Supremo Tribunal Federal – STF é uma clara mostra de que no Brasil remédios e procedimentos capazes de curar têm uso dificultado pelas autoridades sanitárias. Da mesma forma que vem sendo feito com a auto-hemoterapia, cuja aplicação em hospitais e outros servidos de saúde foi proibido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa, mas nada mais foi feito pelas autoridades para pesquisar os efeitos da referida técnica no combate e cura de doenças.

Na referida matéria, o Diretor do Instituto Oncoguia, de São Paulo Tiago Matos afirma que “A sociedade clama por respostas científicas” e acrescenta que “Se há relatos de pacientes que conseguiram benefícios com esse produto, é preciso que alguém, alguma autoridade comece; dê o primeiro passo prá se fazer pesquisas a respeito desse produto”. Da mesma forma que deviam proceder com os milhares de relatos de usuários da auto-hemoterapia feitos em toda parte, inclusive no Portal Médico, do Conselho Federal de Medicina – CFM.

Além dos relatos de usuários e parentes de usuários segundo os quais o câncer regrediu com o uso da fosfoetanolamina, o pesquisador Gilberto Chierice, que identificou o efeito da substância no combate à doença explica que “Os tumores diminuem de volume, porque o próprio sistema imunológico do paciente se incumbe disso”. Se o sistema imunológico junto com a substância já é capaz de provocar melhoras, certamente com o uso da auto-hemoterapia, que multiplica por quatro a imunidade, os efeitos seriam mais rápidos e melhores.

O que ocorre no Brasil com relação ao uso de terapias e medicamentos eficazes no combate a doenças é um imenso descaso para com a saúde pública. O caso relatado hoje na TV Globo chegou até ao Supremo Tribunal Federal porque, apesar de beneficiar os usuários, o Medicamento desenvolvido por pesquisador da USP não passou por testes clínicos, mas atraiu o interesse de centenas de pacientes. A reportagem acompanha a opinião da USP segundo a qual a substância “Nem pode ser chamado de remédio”, porque não está registrada.

Aqui cabem observações: remédio é o que cura, não apenas o que a Anvisa diz que pode ser vendido. Até porque A própria Anvisa e o CFM têm obrigação de trabalhar pela saúde da população, inclusive realizando e patrocinando pesquisas como estas, da fosfoetanolamina e da auto-hemoterapia. Porém aqueles e outros órgãos limitam-se a uma atividade puramente burocrática e policialesca, deixando de lado o papel mais relevante, que seria corroborar e atuar juntamente com os setores que buscam o avanço das descobertas científicas.

http://globotv.globo.com/rede-globo/

1 Comentário»

  Luzia Dias wrote @

Onde posso encontrar este remédio


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: