HSSuffer: Hidradenitis Suppurativa, Ictiose, Auto-Hemoterapia, Disordens Cutâneas, Doenças Raras e Auto-Imunes

Hidosadenite Supurativa, Ictiose, Doenças Raras, Auto-Hemoterapia e tratamentos na Medicina Alternativa abordando aspectos Psicológicos e sequelas que envolvem seus portadores

Arquivo para científico

AUTO-HEMOTERAPIA – CARTA ABERTA DO FILHO DO DR. LUIZ MOURA

30/04/2007
AUTO-HEMOTERAPIA – CARTA ABERTA DO FILHO DR. LUIZ MOURA
ÁLVARO MOURA

Sr(a)s Profissionais de Saúde.

Sou filho do médico Dr. Luiz Moura que teve a imagem denegrida no programa de televisão “Fantástico” da TV Globo exibido no dia 22/04/2007. A credibilidade das informações divulgadas em um programa de variedades exibido em uma rede de televisão não deve ter o mesmo peso que o depoimento de um presidente de um conselho profissional. O que se viu na matéria citada acima foi a divulgação (indevida e não autorizada) de um depoimento gravado em vídeo dos resultados obtidos com a prescrição pelo Dr. Luiz Moura do tratamento com auto-hemoterapia, pitacos de um repórter, depoimentos de pacientes satisfeitos com o tratamento e entrevistas com presidentes de conselhos profissionais totalmente despreparados (e desinformados) para exercer função tão importante para a sociedade brasileira. A começar pela presidente do CRM-RJ, Dra. Márcia Rosa de Araújo.

Este conselho em janeiro de 2006 autorizou o Dr. Luiz Moura a realizar o tratamento com auto-hemoterapia em decisão unânime de seus conselheiros. Que papelão doutora, desconhecer as decisões tomadas pelos seus pares em data tão recente! Bem, temos também o depoimento do presidente do CFM Dr.Edson Andrade, chamando meu pai de picareta e afirmando que o mesmo estaria ganhando dinheiro com um vídeo gravado por pessoas sérias que não concordam que um tratamento tão eficaz e barato caia no esquecimento porque não está na moda.
Dr.Edson Andrade, se o senhor tivesse se dado ao trabalho de fazer uma pesquisa rápida pela internet poderia ter se esquivado de dar este depoimento vergonhoso, mas a notoriedade concedida instantaneamente pelos meios de comunicação faz com que algumas pessoas esqueçam de algo chamado ética.

Sr(a)s. Presidentes do CFM e CRM, caso estejam realmente interessados em defender a população e a classe médica de profissionais que não professam os ideais de Hipócrates, acessem o site do Institute of Sciense (www.instituteofSciense.com) e adquiram uma versão em pdf por US$ 27.00 do trabalho Autohemotherapy Reference Manual & Historical Review de autoria de S. H. Shakman. Este pesquisador listou 916 artigos publicados no período de 1905 a 1982, sendo que ao final do trabalho, nas referências bibliográficas temos os autores, período dos estudos e países onde foram realizados os congressos ou foi publicado o artigo.

O que mais chama a atenção é a diversidade de países onde os estudos foram realizados, tais como China, Rússia, Alemanha, Romênia, Itália, Espanha, França, Bélgica, etc. Caso haja interesse por trabalho de médicos brasileiros temos também: – Imunoterapia – Dr. Ricardo Veronesi; – Autohemotransfusão – Dr. Jessé Teixeira; – Auto-Hemoterapia – Dr. Luiz Moura, Prof. Dr. José de Fellipe Junior, Dra. Berenice Wilke.

Srs. presidentes do CFM, CRM-RJ, CRM-PE, Conselho Federal de Farmácia e da Sociedade Brasileira de Hematologia, a Auto-Hemoterapia é uma técnica que está sendo estudada e utilizada desde 1905 em diversos países com inúmeros relatos de melhora ou cura dos pacientes, o que mais é necessário para ser aprovada? Ao utilizar o conceito citado pelo(a)s Sr(a)s (o tratamento não têm fundamento científico ou não foi comprovada a sua eficácia), eu acredito que 90% dos medicamentos em uso hoje deixariam de poder figurar nas prateleiras das farmácias.

Qual remédio precisa de cem anos de pesquisa para ser aprovado? Chamar alguém de picareta porque esta pessoa estuda e aplica os conhecimentos obtidos para curar ou amenizar o sofrimento das pessoas, sei lá, acho melhor deixar o julgamento sobre este senhor a cargo das pessoas que conhecem meu pai e se beneficiam de um tratamento que por ser barato e eficiente e jamais estará na moda e na mídia.

Que Deus nos proteja dos poderosos picaretas!

Álvaro Moura

30 Abril 2007

Fonte:
Fatimah Borges
Assessoria, Consultoria e Gerenciamento de Projetos
Artigo:
http://www.fatimahborges.com.br/artigo.php?code=103

Cura ou Fuga?

Tenho tido pavor dessas palavras:

“chronic” – crônica

“recurrent” – recorrentes

“incurable” – incurável.

 

Ainda me sinto uma sortuda por ter encontrado diagnóstico tão cedo. Quatro anos é nada perto dos testemunhos que tenho dos outros +/- 200 portadores que tenho contato. Quando penso que estou conversando com alguém que lida com essa chaga há 30 anos, ás vezes me bate “desespero”.

 

Dizer que um portador de HS não sofre de depressão é como querer acreditar que um soldado não carregue traumas e seqüelas de uma guerra. Parece conto da carochinha quando você se vê na batalha todo santo e sagrado dia.

 

As adaptações podem e serão muitas e as fugas também. Aliás, pode ser o que você quiser: drogas, antidepressivos, orações, enclausuramentos, cirurgias, dupla personalidade, e a única e irrefutável: Fé em Deus! Aqui até o ateu se converte… Basta pensar que essa enfermidade está atingindo o indivíduo em fase produtiva de vida levando a importantes repercussões sociais, financeiras, estéticas e sexuais. Será que fui clara?

 

Há momentos em que você acha “sortudo” quem está tendo um ataque cardíaco na esquina! Entretanto, com os anos você também descobre que a auto-piedade é a maior “tortura” que  ELA pode lhe trazer e que dormindo com o inimigo e aprendendo a conhecê-lo é de onde virá a sua vitória!

 

Cura?

É uma palavra muito forte.

O remédio tem que ser para o corpo e para a alma, porque ambos se encontram concomitantemente miseráveis… Mas se você pensar que ao invés de ir de encontro a idéia, aliar-se a ela vai lhe amenizar os traumas; então que essa seja umas das muitas formas de adaptação. Tolerância a dor, por exemplo! Que tal associar-se a uma seita sado-masoquista? Bem! Eu diria que esta é a hora em que você rever muitos dos seus “conceitos”. E “preconceitos”! Nunca diga nunca.

 

Todos sabem que a “necessidade” é a mola mestra que alavanca o homem ao progresso. É assim desde que o “Homem de Pequim” no Paleolítico descobriu o fogo e graças a Deus hoje a gente pode comer churrasquinho. “Algo” há de mover “alguém” a descobrir o que chamam de “cura”. A minha maior frustração é saber que uma andorinha só, não faz verão e quando avanço em minhas pesquisas e me deparo com as atrocidades literárias no meio médico-científico no que se refere a essa chaga; eu choro como uma “andorinha”.

 

Eles têm as “ferramentas” para isso… Mas sou “eu” quem sente a necessidade!

 

O estigma de que cada um tem que fazer a sua parte é o que me faz escrever e cutucar “onça com vara curta” no intuito de que só talvez assim eu consiga abalar o “ego” de algum pesquisador que se interesse em ter seu “nome” em letras “garrafais douradas” no livro de capa preta como “descobridor da cura de…”; ou simplesmente alguém que queira deixar qualquer bom legado para uma pequena parcela da humanidade, mas não menos significante, da qual “eu” faço parte. Mas isso é um mero detalhe!

 

Ainda hei de achar as “ferramentas”!

– A necessidade faz o homem!

%d blogueiros gostam disto: