HSSuffer: Hidradenitis Suppurativa, Ictiose, Auto-Hemoterapia, Disordens Cutâneas, Doenças Raras e Auto-Imunes

Hidosadenite Supurativa, Ictiose, Doenças Raras, Auto-Hemoterapia e tratamentos na Medicina Alternativa abordando aspectos Psicológicos e sequelas que envolvem seus portadores

Arquivo para cura

AUTO-HEMOTERAPIA CURA CÂNCER, por Janine Gui

 

Palavras de Janine Gui:
” Pra quem não acredita na Autohemoterapia estou aqui viva por causa dela! “

Curei de câncer Linfoma de Hodgkin(pescoço, axila, mediastino) e várias outras coisas, sinusite, dores na coluna, queda de cabelo, rins, espinhas, etc. A hemo tem uma infinidade de benefícios a baixíssimo custo e me ajuda MUITO na disposição, tenho hipotireóide devido radioterapia no pescoço e me alivia com os sintomas, que são terríveis. É ótima pra cicatrização, pré e pós operatórios.
A Autohemoterapia não tem contra indicação nem efeitos colaterais. Grávidas, crianças, idosos e até aidéticos podem tomar.

Estive praticamente sem vida no hospital, com 1.000 de plaquetas e 100 de leucócitos. Pra quem entende de exame de sangue vai saber o que é isso.
Meus tratamentos duraram por volta de 5 anos! Muitas biópsias pra descobrir o que era, vários tipos de quimioterapias, radioterapia, fiz até transplante, meu cabelo era na cintura, fiquei careca assim 3x. Fiquei sem sobrancelha e sem cílios.

Agora depois de 13 anos meu cabelo já passou da cintura de novo!
O câncer voltou várias vezes e só parou de voltar depois da Autohemoterapia! Tinha pânico de agulha, até sentir na pele os benefícios e perder o medo a ponto de eu mesma fazer!

Cada um vai se adaptando do seu jeito.
Faço há 13 anos.

Tiramos o sangue com Scalp(muito mais prático)
Injetamos com seringa 0,8×30
10ml de 7 em 7 dias no glúteo. Cada vez de um lado pra descansar o outro.
Há quem aplique 5ml de cada lado, mas já vi o Dr. Luiz Moura falar desse jeito também.
Antes eu gastava +- 500 de plano de saúde(não tenho mais) e +- uns 500 de farmácia.
Agora meu gasto é com: 1 seringa, 1 agulha e 1 scalp por semana, o que dá +- 3 reais por semana, muita diferença né?
Compramos caixas com 100 unidades de cada um, fica muito mais em conta, dura muitos meses e tem sempre alguém querendo aplicar.

É MUITO importante assistir os vídeos do Dr. Luiz Moura antes de tudo.
Nos vídeos tem tudo o que precisamos saber, sobre quanto, como e onde aplicar.
Ele dá vários relatos também de vários pacientes dele e do pai dele que era médico também.

Primeiro procurei um profissional da área que sabe aplicar injeção, só por vídeo acho muito arriscado. Se atingir o nervo ciático, pode até ficar sem andar!

Procure um médico, enfermeiro, aplicadores, até mesmo em farmácias eles sabem onde aplicar.
Com o tempo aprendemos e a gente mesmo se aplica agora!

Quando quiser achar quem aplique em sua cidade procure no google: Autohemoterapia e o nome da cidade que sempre tem alguém, algum grupo ou profissionais da área como médicos, enfermeiros e em farmácias.

Ah! Outra coisa MUITO IMPORTANTE, carne é cancerígeno. Sou vegetariana há 13 anos tb! O ser humano NÃO precisa comer o sofrimento e a morte do animal! Eles também tem muitas doenças e inclusive câncer!
Enfim… vou fazer hemo e não vou comer carne enquanto tiver vida!
Boa sorte e saúde a todos!
FAÇAM SEUS DEPOIMENTOS, ISSO AJUDA MUITO PESSOAS EM SOFRIMENTO!!!
Vamos ser realistas, ninguém é eterno, uma hora todo mundo desencarna, mas podemos viver melhor enquanto estamos aqui na terra!
Segue abaixo os links do Dr. Luiz Moura! Esse anjo enviado a terra pra ajudar as pessoas que sofrem tanto com doenças:

 

fonte:
https://autohemoterapia-por-doutor-luiz-moura

um SOPRO de “esperança” : HS [retomada das pesquisas]

eu-hs-post

Prezados e caros colegas e amigos de infortúnios, só nós sabemos de fato o quanto somos atingidos pelo desconhecido. A falta de literatura médica plausível impede e frustra inclusive os profissionais mais decentes que tentam nos ajudar. As pesquisas pararam há muitos anos porque por se tratar de uma enfermidade rara é mais dispendioso aos custos governamentais alavancar pesquisas científicas para defini-la, identifica-la e encontrar um antídoto que pagar um benefício de auxílio doença ou aposentadoria para uma quantidade ínfima de pessoas que não duram mais que 5 anos em vida já que ´índice de mortalidade da mesma POR SUICÍDIO é inacreditável! Creiam, a HS não irá te matar, ela irá contigo para o túmulo, mas você irá se matar porque já não consegue conviver com a presença dela e seus sintomas em sua vida!
Quando ouvi isso pela primeira vez, fiquei chocada! Quem me disse foi seu Adelino Picão, um português residente em Lisboa que possuía a Tetrade Acneica. A mais severa deste mundo. Ele passou maus bocados e conversávamos sempre. Infelizmente ele veio a falecer há alguns anos já, mas uma das 4 enfermidades que ele possuía era a HS. O que ela faz basicamente é atacar o seu sistema imunológico como uma AIDS não contagiosa porque de fato não há nada além de você mesmo atacando o seu corpo. Por esta razão os antibióticos, anti-inflamatórios, pomadas ou qualquer outra droga faz efeito sobre melhorar seu estado com ela. Há 10 anos faço exames clínicos constantes e NUNCA tive como positivo, sequer para minha purulência nenhum fungo, vírus ou bactéria. NADA, absolutamente nada. Então para aqueles leigos que já vi aos montes que dizem que a HS é oriunda de algum Estreptococos ou Estafilococos da vida, ENGANAM-SE. A mais provável teoria aceitável entre especialistas é de que ela seja uma anomalia numa sequência mitocondrial num cromossomo do seu DNA, por isso ela deve ser congênita e com certeza ela é hereditária. 70% dos casos registrados mostram que ela se apresenta de 4 em 4 gerações mas não necessariamente. Já vi relatos de mãe e filha por exemplo, da mesma forma que em 70% dos casos as cirurgias são o melhor paliativo para os sintomas que se parecem com a furunculose mas 30% recaem em recidivas (meu caso que já é crônico).
Dizem que ela só aparece nas axilas e períneo anal. Outra falsa afirmação. Já tive ela em todo o corpo, até nos olhos e quase fiquei cega. Mas de fato, onde há pelo, há maiores possibilidades da inflamação se espalhar. As bolsas que se enchem de purulência são ligadas entre si por fístulas o que viabiliza a locomoção dela para qualquer direção. Por isso ás vezes você aqui e o pus saí acolá. Em muitos casos ela não cria uma ruptura, um olho como popularmente costumamos dizer, nestes casos é necessário que se abra um corte para drenagem com um bisturi mesmo a depender da dor e do tamanho que o abcesso se apresente. Já tive minúsculos do tamanho de uma azeitona e que em menos de 48 horas estavam maior que uma laranja ou uma mão fechada com punho…
Como disse, cada caso é um caso e ás vezes o que funciona para um, não funciona para outro.
O mais avançado dos conhecimentos que consegui adquirir sobre ela me chegou através do único centro de apoio mundial para os portadores de HS que une 4 estados dos Estados Unidos: Oklahoma, Michigan, Texas e Las Vegas. Morei durante 5 anos fora do país em busca de qualquer coisa que pudesse me levar a tão sonhada CURA…. mas cabei por cair na realidade e ainda só temos paliativos. Neste intervalo experimentei e fui cobaia de quase tudo que se pode imaginar! Já passei por mais de 40 procedimentos cirúrgicos e tenho inúmeras síndromes psiquiátricas como sequelas e consequências de todo o processo ao qual me submeti em conviver na busca por melhores condições de vida e para os mais curiosos, a resposta é SIM. Já tentei o suicídio por mais de 5 vezes, todas muito mal sucedidas.
Esta é uma confissão que jamais imaginei que daria, mas me sinto mais do que na obrigação moral de auxiliar os que se sentem mais perdidos do que eu!
E estou reportando com muita satisfação porque numa das minhas últimas tentativas estive em São Paulo, mais uma vez em busca sabe Deus do que, mas atrás de qualquer coisa que pudesse me guiar a novos rumos. Voltei mais uma vez frustrada acreditando que de nada havia surtido efeito dentre todas as minhas iniciativas de pedido de socorro!
Pois heis que quase uma ano depois desta minha divulgação recebo em minha caixa postal o informe que exponho abaixo e agora acredito que há uma chance. Talvez cedo demais para que EU a desfrute, mas que pode ser o começo de uma sementinha que plantei despretensiosamente e quem sabe futuramente meus tataranetos não precisem galgar os mesmos passos tortuosos deste calvário que eu já conheço tão bem…
Vocês não imaginam como choro quando leio o desabafo de muito de vocês e me sinto uma inútil porque não posso lhes arrancar com a mão a dor de cada um que eu já conheço em minha própria pele… sou mortal como qualquer outro e nem sei explicar porque ainda resisto a tanto. Fé e Deus talvez seja a única explicação, mas não quero envolver religiosidade no meio porque ela, a HS, também não distingue religião, nem sexo, nem etnia, nem gênero…. Pode aparecer em qualquer um….
Bem, para não faltar-lhes com a verdade absoluta ao invés de transcrever o texto eu dei um print screen na nossa conversa e estou disponibilizando aqui para que seja a referência real para os demais que quiserem se juntar a causa e ajudar a chegarmos em algum lugar. Ainda sou da velha guarda que acredita que a união faz a força…

hs1

hs2

hs3

hs4

Que O bom Pai nos dê a todos esperanças de um ano melhor! Um Feliz 2017 a todos os meus companheiros de jornada. Que Deus nos abençoe! Um beijo no coração de cada um. Muita SAÚDE  e paz!

Alexandre Fleming e a Descoberta do Antibiótico

13227009_1021711021216353_4790275368216783730_n

Palavra do Dr. Luiz Moura:
Usando a auto-hemoterapia junto com os antibióticos haveria muito menos casos de resistência ao antibiótico, porque não sobrariam cepas resistentes que depois se reproduzem em outras cepas resistentes de micróbios.

Alexandre Fleming e a descoberta do antibiótico

Ele era um filho de jardineiro que chegou a lorde, graças ao bendito afogamento de Winston Churchill, que tinha 8 anos de idade quando caiu num poço. Alexandre Fleming tinha 10 anos, era filho de jardineiro do pai de Winston Churchill e salvou Winston Churchill, tirando-o do poço.

Lorde Churchill chamou o pai dele e disse: “A vida do meu filho não tem preço. Peça alguma coisa que eu lhe darei, se quiser uma casa eu lhe darei uma casa.”. “Eu não preciso de casa, eu nasci aqui, meu pai nasceu aqui, meu avó é que foi o primeiro que trabalhou aqui. Eu preciso é conseguir atender um desejo de um filho. Tenho quatro filhos, três vão ser operários, não tem interesses, mas o Alexandre desde pequeno diz que quer ser médico e quer ser pesquisador. Eu não tenho a menor condição de atender ao desejo dele.”. Lorde Churchill disse: “Então ele será, se tiver capacidade. Por falta de dinheiro é que não haverá problema.”. Ele se formou em medicina, o Alexandre, e graças à sua humildade descobriu a penicilina.

Lorde Churchill ofereceu para ele qualquer quarto de sua mansão e o Alexandre disse não. (Isso foi contado pelo próprio Alexandre no Hospital do Servidor do Estado em 1951, na rua Sacadura Cabral.). “Basta um lugar embaixo da escada. Ali há espaço suficiente para montar o laboratório.”. Por sorte era um lugar muito úmido. E ele, fazendo experiências com placas de cultura, um fungo – que adora umidade, o penicilium notatum – destruiu uma daquelas placas de cultura. Como ele era um pesquisador, em vez de jogar fora a cultura estragada, quis saber por que tinha havido aquele halo de destruição. Encontrou esse fungo e descobriu que esse fungo secretava uma substância, a penicilina. Então ele começou a usar esse antibiótico em cavalos do jóquei clube de Londres, e em vacas das fazendas das imediações com alguma doença infecciosa.

Um dia aparece para buscá-lo o comandante da Royal Air Force, para ele aplicar a penicilina em Winston Churchill que estava morrendo no Norte da África. Winston Churchill tinha ido dar apoio moral ao general Montgomery, que estava levando a pior com o marechal Rommel, a raposa do deserto de Hitler. Lá contraiu uma pneumonia dupla, não havia recursos, estava praticamente desenganado.

Alexandre Fleming e o comandante da Royal Air Force sozinhos atravessaram por cima da Europa, passando por zonas ocupadas pelos alemães, em grandes altitudes, e chegaram a tempo de aplicar a penicilina em Churchill. Só que ele, com simplicidade, disse ao comandante da Royal Air Force: “Mas logo Churchill vai ser o primeiro ser humano a receber uma injeção de penicilina. Logo Churchill, nosso primeiro ministro?”. E a resposta: “É tudo ou nada. O caso dele é caso perdido.”. E assim salvou pela segunda vez Winston Churchill, a primeira no poço, que resultou em estudar medicina.

Aí ele diz que nas suas pesquisas tinha constatado que os micróbios ao longo de 10 (dez) anos iam criando resistência a antibiótico, mas também tinha constatado que eles perdiam a memória. Todo antibiótico deveria ser usado num prazo máximo de 10 (dez) anos e depois descontinuado, se possível, alguns anos, já que muitos outros antibióticos surgiriam nesse intervalo. Foi por isso que surgiu essa quantidade enorme de antibióticos, todos derivados de fungos. Porém a ganância resultou em usar os antibióticos permanentemente, não descontinuar, e com isso os micróbios criaram resistência e – dizem de brincadeira os médicos que trabalham em hospital – que há micróbios residentes, que já até adoram os antibióticos. Essa é que foi a história contada por Alexandre Fleming, o descobridor da penicilina.

E foram os antibióticos que levaram a descontinuar o uso da auto-hemoterapia, quando o normal seria acrescentar, somar e não substituir. Porque cada um age de uma forma diferente: os antibióticos agem impedindo a reprodução dos micróbios e o Sistema Imunológico – ativado pela auto-hemoterapia – completa a tarefa com os macrófagos fagocitando os micróbios. A função dos macrófagos – o termo ‘macro’ é grande e ‘fagos’ é comer – é comer partículas grandes. Usando a auto-hemoterapia junto com os antibióticos haveria muito menos casos de resistência ao antibiótico, porque não sobrariam cepas resistentes que depois se reproduzem em outras cepas resistentes de micróbios.

fonte: Walter Medeiros
https://www.facebook.com/groups/autohemoterapiatrataecura/permalink/962798707172381/

%d blogueiros gostam disto: