HSSuffer: Hidradenitis Suppurativa, Ictiose, Auto-Hemoterapia, Disordens Cutâneas, Doenças Raras e Auto-Imunes

Hidosadenite Supurativa, Ictiose, Doenças Raras, Auto-Hemoterapia e tratamentos na Medicina Alternativa abordando aspectos Psicológicos e sequelas que envolvem seus portadores

Arquivo para imunidade

Alexandre Fleming e a Descoberta do Antibiótico

13227009_1021711021216353_4790275368216783730_n

Palavra do Dr. Luiz Moura:
Usando a auto-hemoterapia junto com os antibióticos haveria muito menos casos de resistência ao antibiótico, porque não sobrariam cepas resistentes que depois se reproduzem em outras cepas resistentes de micróbios.

Alexandre Fleming e a descoberta do antibiótico

Ele era um filho de jardineiro que chegou a lorde, graças ao bendito afogamento de Winston Churchill, que tinha 8 anos de idade quando caiu num poço. Alexandre Fleming tinha 10 anos, era filho de jardineiro do pai de Winston Churchill e salvou Winston Churchill, tirando-o do poço.

Lorde Churchill chamou o pai dele e disse: “A vida do meu filho não tem preço. Peça alguma coisa que eu lhe darei, se quiser uma casa eu lhe darei uma casa.”. “Eu não preciso de casa, eu nasci aqui, meu pai nasceu aqui, meu avó é que foi o primeiro que trabalhou aqui. Eu preciso é conseguir atender um desejo de um filho. Tenho quatro filhos, três vão ser operários, não tem interesses, mas o Alexandre desde pequeno diz que quer ser médico e quer ser pesquisador. Eu não tenho a menor condição de atender ao desejo dele.”. Lorde Churchill disse: “Então ele será, se tiver capacidade. Por falta de dinheiro é que não haverá problema.”. Ele se formou em medicina, o Alexandre, e graças à sua humildade descobriu a penicilina.

Lorde Churchill ofereceu para ele qualquer quarto de sua mansão e o Alexandre disse não. (Isso foi contado pelo próprio Alexandre no Hospital do Servidor do Estado em 1951, na rua Sacadura Cabral.). “Basta um lugar embaixo da escada. Ali há espaço suficiente para montar o laboratório.”. Por sorte era um lugar muito úmido. E ele, fazendo experiências com placas de cultura, um fungo – que adora umidade, o penicilium notatum – destruiu uma daquelas placas de cultura. Como ele era um pesquisador, em vez de jogar fora a cultura estragada, quis saber por que tinha havido aquele halo de destruição. Encontrou esse fungo e descobriu que esse fungo secretava uma substância, a penicilina. Então ele começou a usar esse antibiótico em cavalos do jóquei clube de Londres, e em vacas das fazendas das imediações com alguma doença infecciosa.

Um dia aparece para buscá-lo o comandante da Royal Air Force, para ele aplicar a penicilina em Winston Churchill que estava morrendo no Norte da África. Winston Churchill tinha ido dar apoio moral ao general Montgomery, que estava levando a pior com o marechal Rommel, a raposa do deserto de Hitler. Lá contraiu uma pneumonia dupla, não havia recursos, estava praticamente desenganado.

Alexandre Fleming e o comandante da Royal Air Force sozinhos atravessaram por cima da Europa, passando por zonas ocupadas pelos alemães, em grandes altitudes, e chegaram a tempo de aplicar a penicilina em Churchill. Só que ele, com simplicidade, disse ao comandante da Royal Air Force: “Mas logo Churchill vai ser o primeiro ser humano a receber uma injeção de penicilina. Logo Churchill, nosso primeiro ministro?”. E a resposta: “É tudo ou nada. O caso dele é caso perdido.”. E assim salvou pela segunda vez Winston Churchill, a primeira no poço, que resultou em estudar medicina.

Aí ele diz que nas suas pesquisas tinha constatado que os micróbios ao longo de 10 (dez) anos iam criando resistência a antibiótico, mas também tinha constatado que eles perdiam a memória. Todo antibiótico deveria ser usado num prazo máximo de 10 (dez) anos e depois descontinuado, se possível, alguns anos, já que muitos outros antibióticos surgiriam nesse intervalo. Foi por isso que surgiu essa quantidade enorme de antibióticos, todos derivados de fungos. Porém a ganância resultou em usar os antibióticos permanentemente, não descontinuar, e com isso os micróbios criaram resistência e – dizem de brincadeira os médicos que trabalham em hospital – que há micróbios residentes, que já até adoram os antibióticos. Essa é que foi a história contada por Alexandre Fleming, o descobridor da penicilina.

E foram os antibióticos que levaram a descontinuar o uso da auto-hemoterapia, quando o normal seria acrescentar, somar e não substituir. Porque cada um age de uma forma diferente: os antibióticos agem impedindo a reprodução dos micróbios e o Sistema Imunológico – ativado pela auto-hemoterapia – completa a tarefa com os macrófagos fagocitando os micróbios. A função dos macrófagos – o termo ‘macro’ é grande e ‘fagos’ é comer – é comer partículas grandes. Usando a auto-hemoterapia junto com os antibióticos haveria muito menos casos de resistência ao antibiótico, porque não sobrariam cepas resistentes que depois se reproduzem em outras cepas resistentes de micróbios.

fonte: Walter Medeiros
https://www.facebook.com/groups/autohemoterapiatrataecura/permalink/962798707172381/

Auto-hemoterapia: Restorative Health Clinic

Auto-hemoterapia: Restorative Health Clinic
“Integrative Medicine that focuses on the whole you – body, mind and spirit.”
Blending Science and Nature for Better Health.

fibromialgia_blog_hs

Auto-hemoterapia

Restorative Health Clinic
17685 SW 65th Ave. #300
Lake Oswego, OR 97035

Usado em toda a Europa, a auto-hemoterapia é uma ferramenta terapêutica segura e acessível para o tratamento de muitas doenças, principalmente relacionadas à disfunção do sistema imunológico e baixa produção de energia mitocondrial. Se você está sofrendo de acne, alergias, ou infecção viral crônica de baixo nível perdido por suas células imunes, você pode se beneficiar de auto-hemoterapia.

O tratamento com auto-hemoterapia envolve injeção intramuscular ou intravenosa de seu próprio sangue. A terapia pode ser realizada com o sangue alterado-un, ou com a adição de substâncias terapêuticas, tais como homeopathics injectáveis ??ou ozono (O3). Embora tenha havido pouca pesquisa realizada para demonstrar o mecanismo exato através da terapia aumenta a função do sistema imunológico, vemos resultados positivos com quase todos os nossos pacientes. A mais óbvia daqueles que estão sendo pacientes que lutam acne, eczema e psoríase.

Se você sofre de alguma das seguintes condições, por favor ***contacte um dos nossos médicos*** se auto-hemoterapia é uma opção de tratamento adequado para você:

Acne
Adjunto Cancer Care
Doença Auto-Imune
As alergias crônicas
A fadiga crônica
Infecções crônicas
Eczema
Fibromialgia
Síndrome de disfunção imunológica
A doença inflamatória intestinal
Câncer de próstata
Psoríase
Artrite reumatóide e gota
A inflamação sistêmica
Doença auto-imune da tiróide

ORIGINAL

Restorative Health Clinic === Autohemotherapy

Restorative Health Clinic
17685 SW 65th Ave. #300
Lake Oswego, OR 97035

Autohemotherapy

Used throughout Europe, autohemotherapy is a safe and affordable therapeutic tool for treating many conditions, especially related to immune system dysfunction and low mitochondrial energy production. Whether you are suffering from acne, allergies, or chronic low-level viral infection missed by your immune cells, you may benefit from autohemotherapy.

Treatment with autohemotherapy involves intramuscular or intravenous injection of your own blood. The therapy may be performed with un-altered blood, or with the addition of therapeutic substances such as injectable homeopathics or ozone (O3). Though there has been little research performed to demonstrate the exact mechanism through with the therapy enhances immune system function, we see positive results with nearly all of our patients. The most obvious of those being patients battling acne, eczema and psoriasis.

If you suffer from any of the following conditions, please ask one of our physicians if autohemotherapy is an appropriate treatment choice for you:

Acne
Adjunct Cancer Care
Autoimmune Disease
Chronic Allergies
Chronic fatigue
Chronic Infections
Eczema
Fibromyalgia
Immune Dysfunction syndrome
Inflammatory bowel disease
Prostate cancer
Psoriasis
Rheumatoid Arthritis and Gout
Systemic Inflammation
Thyroid autoimmune disease

Fonte
http://restorativehealthclinic.com/what-we-do/modalities/autohemotherapy/

Integrative Oncology Centers™ Auto-hemoterapia uma parte da Imunoterapia

Auto-hemoterapia, ou terapia auto-sangue, foi descrita pela primeira vez pelo médico francês Paul Ravaut em 1913 e tem sido empregado em uma ampla gama de condições de doenças crónicas. Várias centenas de artigos sobre o assunto foram publicados em revistas médicas tradicionais, como o Journal of the American Medical Association, principalmente a partir do início dos anos 1920 até o início dos anos 1940, conforme listado nos vários volumes do Index Medicus (geralmente sob a categoria de assunto soro ” A terapia “).
Auto-hemoterapia é uma parte do tratamento de imunoterapia. Auto-hemoterapia não é uma “terapia alternativa”. A acção benéfica relatado de auto-hemoterapia tem sido atribuído à presença de antigénios no sangue, que estimulam a produção de anticorpos quando injectado nos tecidos. Esta explicação encontra apoio no trabalho de Dr. CE Rosenow (Fundação Mayo, 1915-1944), que estabeleceu a presença de um organismo causador ou antígeno no sangue durante a fase ativa de muitas doenças. Assim, a acção de auto-hemoterapia pode ser comparada com a de uma vacina autóloga e pertence ao campo da imunoterapia.

A técnica é mais comum na Europa e na América do Sul do que nos Estados Unidos. Ela envolve a retirada de uma pequena quantidade de sangue (dependendo da condição do doente) a partir da veia e a reinjecção do mesmo sangue de volta para um músculo ou na veia. O objetivo da terapia é melhorar a capacidade do sistema imunológico para combater a doença.

O sangue conserva as suas componentes normal – o complemento normal de hormonas, anticorpos, minerais e sais. Qualquer subprodutos metabólicos resultantes de doenças agudas ou a longo prazo também estarão presentes no sangue e sua reintrodução no paciente irá forçar o corpo para montar uma resposta imune fresca para a doença causando substâncias.

O sangue pode ser misturado com um remédio homeopático, ou ozono (uma forma instável de oxigénio), antes de ser reinjectado no paciente. E intervalo de dosagem dependem das necessidades individuais do paciente.

Esta técnica tem sido parte do Tratamento Issels de doenças imunológicas, doenças crônico-degenerativas e câncer.

IMPORTANTE: A magnitude da resposta ao tratamento varia de paciente para paciente, mesmo com o diagnóstico semelhante à do ambiente corporal interna é único para cada paciente individual.
http://www.hemoterapia.org/informacoes_e_debate/ver_opiniao/integrative-oncology-centers-auto-hemoterapia-uma-parte-da.asp

%d blogueiros gostam disto: