HSSuffer: Hidradenitis Suppurativa, Ictiose, Auto-Hemoterapia, Disordens Cutâneas, Doenças Raras e Auto-Imunes

Hidosadenite Supurativa, Ictiose, Doenças Raras, Auto-Hemoterapia e tratamentos na Medicina Alternativa abordando aspectos Psicológicos e sequelas que envolvem seus portadores

Arquivo para natureza

Três ótimas receitas caseiras para [ psoríase ]

psoriase

A psoríase atinge cerca de 2% da população mundial e entre 1% e 1,5% dos brasileiros.
Ela se manifesta inicialmente nos cotovelos, joelhos, couro cabeludo, mãos, unhas e plantas dos pés, mas pode atingir qualquer área da pele.
Sua causa é desconhecida e pode surgir em ambos os sexos, sem predominância de raça e, de maneira geral, entre os 30 e 40 anos de vida.
Trinta por cento dos psoríacos têm na família um parente consanguíneo doente.
Alguns fatores desencadeiam e agravam o problema: traumas na pele, como o atrito dos cotovelos com superfícies, abuso de bebida alcoólica, estresse, ansiedade, depressão e fatores imunológicos.

Os tratamentos mais comuns são tópicos, com a aplicação na pele de produtos geralmente à base de corticoide.
Existem bons tratamentos caseiros para a doença.
Esses tratamentos – feitos com regularidade e persistência – costumam apresentar ótimos resultados.

Três desses tratamentos estão a seguir.

RECEITA 1
INGREDIENTES
1 colher (chá) de dente-de-leão
1 colher (chá) de folhas de bardana

MODO DE PREPARO
Coloque os ingredientes em uma jarra.
Cubra com 500 mL de água fervente e deixe descansar por 10-15 minutos.
Coe e sirva.
Tome duas xícaras por dia até a melhora dos sintomas.
Também pode ser tomado frio.

IMPORTANTE – Mulheres não devem tomar este chá durante a gravidez.

RECEITA 2 – ÁGUA DE BARDANA
INGREDIENTES
2 raízes de bardana cortadas
2 litros de água

MODO DE PREPARO
Corte as raízes de bardana em pedaços pequenos, crus.
Coloque dentro de 2 litros de água e deixe descansar por 2 dias.
Depois, guarde na geladeira e beba um copo diariamente em jejum.

RECEITA 3 – SUCO DE INHAME

INGREDIENTES
1 maçã
1 limão
1 inhame pequeno ou metade de um médio da variedade conhecida como japonês ou paulista
Meio litro de água
Mel ou açúcar mascavo (opcional)

MODO DE PREPARO
Esprema o limão, pique o inhame e a maçã.
Bata tudo no liquidificador e sirva com ou sem gelo.

O suco pode ser consumido diariamente.

fonte:
http://www.curapelanatureza.com.br/2014/06/tres-otimas-receitas-caseiras-para.html

Será que existe um óleo pra mim?

Esta semana assisti há um filme bastante interessante. Diria, comovente! O Óleo de Lorenzo, Dirigido por George Miller (Mad Max) e com Nick Nolte, Susan Sarandon e Peter Ustinov no elenco. Recebeu 2 indicações ao Oscar.

A sinopse do filme é dada da seguinte forma: Em 1984, um médico diagnostifica em um garoto uma doença rara. Esse garoto levava uma vida normal até que, quando tinha seis anos, estranhas coisas aconteceram, pois ele passou a ter diversos problemas de ordem mental que foram diagnosticados como ALD, uma doença extremamente rara que provoca uma incurável degeneração no cérebro, levando o paciente à morte em no máximo dois anos. Os pais do menino ficam frustrados com o fracasso dos médicos e a falta de medicamento para uma doença desta natureza. Assim, começam a estudar e a pesquisar sozinhos, na esperança de descobrir algo que possa deter o avanço da doença.

Alguns dos comentários que encontrei a respeito do filme:

“Acima do aspecto comovente que permeia o filme, mostra a ciência como uma atividade interessada, que se inicia com um problema, pode ser desenvolvida por pessoas comuns e questiona o seu o limite e o seu poder.”

“O filme traz uma questão bem interessante, que deve ser levada em consideração: a pesquisa serve às pessoas ou as pessoas à pesquisa?

“Um filme surpreendente. Mostra a força do carinho humano e o poder que o capitalismo exerce no desenvolvimento das pesquisas científicas.”

“O filme é bom porque você se prende pela expectativa de o garoto se salvar, mas por outro lado a medicina deixa muito a desejar pelo descaso dos médicos e cientistas em encontrar a cura para o garoto, achando que nada mais poderia ser feito.”

Sabe? Graças a Deus a taxa de mortalidade dos portadores de HS é bastante baixa e sequer se assemelha a ALD, mas o descaso vivenciado pelo portador, mesmo dentro das Instituições de Apoio é retratado fielmente neste filme. Sem a verba e os números (registrados) que justifiquem a pesquisa continuaremos sem saber de onde vem; como administrar e para onde vai o que temos…

O mais engraçado é que em artigos publicados a Hidradenitis Suppurativa é classifica como uma doença rara, como no documento de Prática de Dermatologia, Volume 9, Número 3, desde 2001 a 2006 e que pode ser encontrado em http://www.hsusa.org

Muito embora as evidências mostrem o contrário. Ela pode ser tudo, menos rara; já que afeta aproximadamente um milhão de sofredores em todo o mundo dos quais pelo menos 30% conhecem também alguém que é portador da mesma. Estatísticas profundamente similares às estatísticas da AIDS nos anos 90.

Creio eu, então, que não houve mortes o suficiente para chocar a sociedade médica e científica ainda para que alguma providência seja “financeiramente” viável!

Como os pais daquela criança no filme, nunca me meti tanto a besta a estudar profundamente o campo da saúde, e podem apostar que não é a minha praia, definitivamente não é! Mas não morrerei a míngua esperando que milagres aconteçam para melhorar a minha qualidade de vida já que estou fadada a morrer com essa chaga.

Quem sabe quanto tempo mais, mas entre pesquisadora e cobaia humana já se passaram quase 6 anos nessa labuta. Não duvidem… Talvez o próximo filme venha a se chamar: O Óleo de Roberta! rs

%d blogueiros gostam disto: